Judiciário em Movimento: último dia de atendimento é realizado no Jardim Liberdade

Giuliano Andrade, 40 e Siene Costa e Silva, 37 foram casados por 13 anos, tiveram um filho, hoje com 20, estavam separados de fato há 8 anos. Não conseguiam realizar o pórcio por falta de recursos financeiros. “Eu não tinha como pagar um advogado particular e o tempo foi passando”, conta Giuliano. Assim como Giuliano e Siene milhares de pessoas encontraram o encaminhamento para seus problemas no projeto Judiciário em Movimento, que finalizou a semana de atendimento em Rondonópolis, no bairro Jardim Liberdade. O último dia de atendimento foi realizado na escola municipal Bernardo Venâncio de Carvalho. Segundo dados do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Rondonópolis, a custa de um processo de pórcio para o Poder Judiciário fica em torno de R$ 1500 a R$ 3000, e o gasto com um advogado é variável de acordo com o mercado. Entretanto, o caso foi solucionado a custo zero para as duas partes.    A analista fiscal Siene comemorou o resultado. “Ficamos muito agradecidos. Nós já estávamos separado de fato, agora podemos dar continuidade em nossas vidas, eu com meu atual companheiro e ele com a companheira dele”. O ex-casal se soma aos mais de 5 mil atendimentos realizados durante uma semana em Rondonópolis pelo Poder Judiciário e parceiros dentro do Judiciário em Movimento. Visita - Na sexta-feira, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, e o juiz auxiliar da presidência, Agamenon Alcântara Moreno Júnior, idealizador e coordenador do projeto, respectivamente, acompanharam o juiz diretor do Fórum da Comarca, Francisco Rogério Barros, até a escola para verificar o atendimento do Judiciário em Movimento in loco. “O projeto representa o movimento do judiciário como o próprio nome diz. É a justiça indo aos locais onde a população pode ter um atendimento mais fácil, com menos gastos e que tem acesso a todos os serviços do Poder Judiciário e dos parceiros”, revela o desembargador presidente. “Nos já temos programados outros cinco polos neste ano. Então o daqui servirá de referencia para esses locais”, antecipa. Para o coordenador do projeto, a expectativa dos organizadores foi superada. “Vendo em , presenciando os atendimentos aqui, a ideia que nasceu pequena foi evoluindo, foi movimento, a ponto de termos uma semana completa de atendimentos. Agora faremos uma analise dos números e para as outras comarcas podemos manter este modelo ou readequar”, completa o juiz auxiliar da presidência. Leia outras matérias sobre o Judiciário em Movimento:     Jornada de estudos pretende integrar comunidade jurídica   População do Parque São Jorge busca serviços do Judiciário em Movimento em Rondonópolis     Rondonópolis recebe atendimento na Praça Brasil no primeiro dia de Judiciário em Movimento        
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia